Ora bolas

Nunca fui entusiasta militante da causa do casamento entre pessoas do mesmo sexo. Digamos que, se fosse referendada a questão, eu votaria a favor; mas em muitas ocasiões me incomodou o ruído histérico em torno do assunto de ambos os lados, a conversa de surdos, a recusa de ouvir argumentos, porque os há sérios a defender as duas posições (e também pouco sérios, claro).

Agora, a possibilidade de adopção por casais, sejam eles hetero ou homo, casados ou não, é outra coisa. É muito triste que numa questão que envolve a felicidade de crianças, ela seja posta em plano secundário por preconceitos idiotas. A adopção é sempre melhor que uma instituição.

Esta sim, era uma questão urgente e fundamental.